segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Kris Kringle

Nenhuma informação encontrada.




Kris Kringle - Sodom 1971




Obs: Link retirado do site Brazilian Nuggets

7 comentários:

Silvio disse...

Kris Kringle

Kris Kringle era um dos vários nomes usados pelo grupo Memphis, campeão das domingueiras paulistanas no Clube Pinheiros e Círculo Militar, na virada da década de 70. O Memphis começou como Bumble Bees e passou por Colt 45, mas também usou outros nomes de grupos fantasmas, como The Fox, Beach Band e Baby Joe. O Memphis também deu origem ao Lee Jackson, que fez muito sucesso na década de 1970.

Antes de gravar seu único LP, o Kris Kringle (Papai Noel nos países nórdicos), lançou um compacto simples, em 1968. Trazia "Suzie" no lado A e "Help" no lado B. Ambas incluídas no LP que foi lançado originalmente em 1971, com capa dupla branca, com o desenho de uma porta aberta. No ano seguinte, foi relançado com a capa simples colorida.

Pelo grupo, nas suas várias fases, passaram, entre outros: Dudu França, bateria e lead vocal; Marcos Maynard (Marcão), guitarra, teclados e vocais; Juvir Moretti (Xilo), guitarra e vocais; Marco Antônio Fernandes Cardoso (Nescau), baixo e vocais; Otávio Augusto Fernandes Cardoso (Otavinho, o Pete Dunaway), guitarra, teclados e vocais.

Também marcaram presença nessa verdadeira grife musical: Osvaldo Rizzo Filho (percussão); Alberto Nicolli Jr. (bateria); Cláudio Callia (teclados). Carlos Alberto Marques (Carlinhos), guitarra, saxofone e vocais; Zacharias da Conceição (Zeca), baixo; Antônio Carlos Macedo (Can), guitarra; Wander Taffo (guitarra); Gel Fernandes (bateria); e Hélio Eduardo Costa Manso (Steve MacLean), teclados e vocais.

Pela época, a formação mais provável do Kris Kringle na gravação de "Sodom" é esta:

Dudu França – bateria e vocal
Nescau – baixo e vocal
Marcão – guitarra
Carlinhos – guitarra e vocal
Otavinho – teclados e vocal.

Entre os vários covers de músicas de sucesso, destaque para a versão heavy-psicodélica de "Help", dos Beatles. O disco começa com uma música de Otavinho em parceria com o escocês Robert Duncan: "Louisiana". Otavinho, que faria muito sucesso em carreira solo como Pete Dunaway, também é co-autor da última faixa, "What you want", com seu primeiro pseudônimo, August.

Dudu França, líder do grupo, tirou o apelido em inglês de seu nome de batismo. Com uma tradução brincalhona, José (Joe) Eduardo França Pontes (Bridges) virou Joe Bridges! Mais informações sobre todos esses grupos brasucas que gravavam em inglês no livro "Hits Brasil", de Fernando Carneiro de Campos, prestes a ser lançado.

Silvio disse...

Faixas LP Sodom

Sodom
Kris Kringle
LP Beverly/Vertigo SBLP 19008
1971

1. Louisiana (August-Duncan)
2. Help (Lennon-McCartney)
3. That's My Love For You (Alan-Roberts-Harris)
4. The Resurrection Shuffle (Tony Ashton)
5. Janie Slow Down (White-Laine)
6. Suzie (Terry Johnson)
7. The Monkey Song (E. Welch)
8. Sarabande (Scott – Beggar’s Opera)
9. Mr. Universe (Burrowes)
10. What You Want (August-Duncan)

escriba77 disse...

Baixem aqui a novíssima digitalização do álbum "Sodom", do Kris Kringle.

Desta vez, gravei com bit rate variável (até 320 kbps). É pau puro, rock de primeiríssima com a turma do Memphis.

Segundo Cesare Benvenuti, produtor do disco e que aprovou a remasterização, o guitarrista-solo é Juvir M. Moretti, o Xilo.

Em tempo: o compacto "Susie"/"Help" foi lançado no Brasil em 1972. Nesse mesmo ano saiu um single na França, também com "Susie" no lado A, mas com "Louisiana" no lado B.

http://www.mediafire.com/?wbk33jdyqzd

um abraço e bom som!

escriba77 disse...

Desculpem-me, amigos. Esta remasterização do Kris Kringle não está com bit rate variável de 320 kbps. Mas sim em 192 kpbs, taxa fixa. Eu me confundi com outro LP. De qualquer forma, o som está ótimo, podem verificar. Um abraço.

José Henrique disse...

Com enorme surpresa descobri que o Kris Kringle era formado por brasileiros.Trabalhei em uma radio nos anos 70,que tinha uma da melhores discotecas do Brasil. Na garimpagem descobri Idle Race, Sunday, Menphis, Kris etc. Ha muito procuro informações sobre este LP. Sarabande é antologico, magico enfim uma surpresa muito grande e deveras boa.

jh.:

escriba77 disse...

Pois é, José Henrique, os meninos do Kris Kringle tinham cacife de sobra para abrir um show, digamos, do Deep Purple. E em qualquer lugar do mundo. O grande "defeito" deles é que eram brasucas.

Além disso, "Sodom" é um disco atemporal e adiante de sua época, o que deve ter dificultado sua compreensão. Por isso, seu frescor e vigor lembram discos que não envelhecem, como por exemplo, "Sgt. Pepper's".

A gente ouve, ouve, ouve mais, ouve de novo e acha que foi gravado ontem! Como é que pode? Dá pra enjoar de ouvir um "Mr. Kite"? Para baixar o KK e muito mais (Tem até Mark Davis com todos os singles!), clique aqui:

http://www.4shared.com/account/dir/12804611/d2e36979/sharing.html?rnd=39#

um abraço,

Sylvan "Woody" Woods

PS: A faixa "The monkey song", do Kris Kringle, passou por uma nova limpeza. Está um pouco melhor.

Anônimo disse...

Concordo plenamente e acho até dificil mensurar o papel deles para a musica de um geral. Na realidade eu gostava e ainda gosto de uma boa musica. A bem da verdade eu considero uma boa musica aquela que dá vontade de pegar. E ainda meu caro Silvan descobrir que um grupo que povou minha adolecencia, com uma musica, elaborada,criativa e sem duvida nenhuma alem do seu tempo, e com pouco valor de reconhecimento, capaz de abrir qualquer show do Deep Purple, The Who, R.S. é sem duvida muito gratificante e motivo de muito orgulho para nos que gostamos deuma boa musica.
Obrigado pela resposta.
um abraço

 
Página Inicial